Sistema de Remoção de Cloreto e Potássio por Cristalização

Em plantas de celulose que utilizam o processo kraft são gerados alguns compostos químicos que aumentam a corrosão e promovem entupimentos na caldeira de recuperação química, reduzindo a disponibilidade das plantas, afetando, diretamente, a produção de celulose.

O sistema de remoção de cloreto (Cl-) e Potássio (K+) por meio de Cristalização de Cinzas, diminui o conteúdo de cloreto e potássio no ciclo de licor das plantas de celulose.

O sistema é baseado na cristalização evaporativa. Devido à sua maior solubilidade, os cloretos e o potássio ficam na solução, podendo ser purgados como rejeito líquido do sistema. O cristalizador pode ser integrado ao evaporador de licor preto utilizando o vapor secundário do Efeito 2 como fonte de calor. Pode ser integrado ao sistema de Licor verde e, também, pode ser independente com a alimentação de vapor diretamente.

O sistema gera, tecnicamente, uma mistura de sais livres de cloreto, consistindo principalmente de sulfato de sódio (Na2SO4) e carbonato de sódio (Na2CO3). Os cristais separados livres de cloreto são dispersados no licor preto, pesado e depois retornados para o ciclo de recuperação.

As eficiências de remoção de cloreto e potássio são de cerca de 90% nas cinzas Filtro Precipitador Eletrostático. A eficiência da remoção de cloreto do processo é praticamente independente do conteúdo de cloreto que entra com as cinzas. O conteúdo de cloreto em estado de equilíbrio, é determinado pelos fluxos de cloreto que entram no processo de produção de polpa. A eficiência de remoção de potássio depende do conteúdo de potássio da cinza Filtro Precipitador Eletrostático. À uma alta concentração, a eficiência de remoção é baixa e a perda de sódio é de cerca de 20%.

As cinzas do Filtro Precipitador Eletrostático da caldeira de recuperação, são completamente dissolvidas no tanque de dissolução de cinzas, sob controle da densidade. O condensado utilizado para a dissolução é a água desmineralizada do evaporador.

Do tanque de dissolução de cinzas, a solução salina é alimentada no cristalizador.

A solução salina é cristalizada em um evaporador-cristalizador de circulação forçada e simples efeito. Os cristais são separados com uma centrífuga.

Os cristais da centrífuga são dispersados em um tanque de mistura para o licor preto pesado. O rejeito, rico em cloreto e potássio da centrífuga, é direcionado para o clarificador de rejeitos. Uma parte necessária dos rejeitos do topo do clarificador é descartada no efluente e vai para fora do ciclo de recuperação.

O gás não condensável vindo do aquecedor tubular é levado para a linha de vapor do tanque flash do cristalizador.

O condensado do aquecedor tubular é levado para o tanque de bombeamento e, bombeado para o tanque flash A de condensado da planta de evaporação.

A Tequaly se apresenta como fornecedora de consultoria técnica, equipamentos, reformas e atualizações técnicas nas modalidades EPS e EPC.